Os incríveis Corvette Mako Shark I e II

Em certo dia, no ano de 1956, Bill Mitchell, que logo alçaria o posto de chefe de design da GM, vira próximo do Centro Técnico da empresa um Ford Thunderbird sendo conduzido por um jovem designer que a GM acabara de contratar.

banner_assinatura

Mitchell, mesmo admirando o trabalho desse jovem designer, não ficou satisfeito por vê-lo pilotando um veículo da concorrente, e decidiu mostrar a potência de seu Pontiac para ensiná-lo uma lição.

Grande erro.

Mitchell olhou para trás, esperando ver o Thunderbird sumindo em seu retrovisor. Ao invés disso, apenas viu um “flash” ao seu lado, com o T-Bird desaparecendo de vista. Chocado, Mitchell fora procurar o garoto, e descobriu que seu automóvel estava todo equipado como veículo de corrida.

Bill Mitchell e o Corvette Mako Shark II

Ele acabara de conhecer Larry Shinoda, hot rodder, piloto, designer e um incorrigível inconsequente.

Larry Shinoda nascera em Los Angeles em 1930 e, durante a 2ª Guerra Mundial, ficou confinado, junto a outros japoneses norte-americanos, em um campo remoto de Manzanar. Após a guerra, ele se envolveu com o cenário hot rod, no sul da Califórnia, onde ganharia suas primeiras corridas.

No início dos anos 50 ele se matriculou na Art Center, mas achou o programa entediante, sendo demitido por falta de envolvimento e descontentamento.

Felizmente um instrutor reconheceu seu talento, e o apresentou a um contato na Ford, onde fora contratado, trabalhando por um ano, após mudar-se para a Packard, e posteriormente para a GM, onde Mitchell estava à sua espera. Lá ele fora colocado no infame Studio X, onde Mitchell executava uma série de projetos longe da vista dos gerentes da GM.

Corvette Mako Shark e Mako Shark II

Um desses fora um carro de corrida que estava sendo construído sobre um chassi Corvette SS. O projeto, autofinanciado por Mitchell e com participação de Peter Brock, Shinoda e Tony Lapine, recebeu a designação “XP-87”, onde nasceria o Corvette Stingray.

Com o sucesso, Mitchell pressionou a GM para investir. Virando-se, então, para Shinoda, pediu-lhe para transformar o Stingray e um modelo mais amigável para as estradas. Ele mostrou-lhe um tubarão que pegara nas férias, e gostaria que a forma temível do animal e sua forma elegante fossem introduzidas nesse novo conceito.

Shinoda ficara entusiasmado com a tarefa, e em 1961 sua obra fora relevada ao público. Nomeado como Mako Shark, o XP-755 fora apresentado no International Car Show de Nova York, em 1961, recebendo um feedback muito positivo.

O formato longo do Stingray fora encurtado, mas manteve os para-brisas e a extremidade traseira pontiaguda. Seu teto futurista, no estilo bolha, e suas cores azul e branca eram particularmente atraentes aos olhos.

Embora positivo, não houve tempo para celebração, e outros trabalhos precisavam ser feitos. E o Mako Shark II começou a ser desenvolvido em 1964, com estilo derivado do Corvair Monza GT e também do Corvette XP-819.

Corvette Mako Shark II

Ambos os conceitos do Mako Shark acabaram sendo um vislumbre para o futuro do programa Corvette. Os trabalhos realizados naqueles anos influenciariam os carros esportivos para a geração que viria, e com certeza influencia até hoje.

Fonte/fotos: www.cardesignnews.com


newsletter

Cadastre-se e receba nossas novidades, ofertas e promoções! Tudo inerente ao universo do carro antigo!

Somos uma empresa séria, no ramo há mais de 16 anos. Seu e-mail está seguro conosco.